Notícias

Cuidados com o cachorro

Acabou de adquirir um cachorrinho? Muitos parabéns! Acaba de ganhar um amigo fiel para a próxima década. Seja um cão de raça pura ou não, resgatado da rua ou comprado num criador ou em uma loja de animais, todos os cachorros necessitam de cuidados básicos para que cresçam felizes e saudáveis.

Quando chegar a casa pela primeira vez, coloque o cachorro no chão e deixe-o explorar o ambiente novo ao seu próprio ritmo. Recorde-se que ele é um bebé, que acabou de sair de um ambiente familiar e do seio da sua família canina, e que alguns cachorrinhos precisam de tempo para ganhar confiança e explorar o seu novo lar.

Definir as regras básicas Por outro lado, os cães necessitam de consistência na sua educação e, como tal, as regras básicas devem ser instituídas no momento da chegada a casa: locais interditos, zonas para repouso, localização dos bebedouros e comedouros, etc. Excetua-se o acesso ao exterior. Enquanto não estiver devidamente vacinado (ou seja, até às 16 semanas de idade) não deve levar o seu cachorro ao exterior, salvo se puder garantir que só contacta com cães saudáveis e corretamente vacinados e desparasitados.

Sociabilização do cachorro O contacto com ambientes novos, outras pessoas e cães é importante para uma sociabilização adequada do cachorro, mas não deve colocar a sua saúde em risco, pelo que é fundamental evitar levá-lo a parques públicos e outros locais que possam ser frequentados por cães errantes. 

 

Primeira ida ao veterinário

Após a aquisição, mantenha o cachorro em casa e vigie o seu estado de saúde: aspeto das fezes e urina, episódios de vómito, tosse, espirro, feridas ou quaisquer outros sinais de doença. Desloque-se ao médico veterinário se detetar qualquer alteração no seu cachorro. As doenças evoluem muito depressa nos cães jovens e a situação pode tornar-se muito grave num curto espaço de tempo.

Caso se mantenha saudável, leve-o ao veterinário 5 a 7 dias após a aquisição, para que possa iniciar o plano de desparasitação e vacinação. Quando se deslocar ao consultório ou hospital veterinário, não coloque o cachorro no chão! Este é o local onde vão todos os animais doentes e, como tal, deve manter o seu cachorrinho ainda mais resguardado. Mantenha-o ao colo, numa transportadora ou mesmo no automóvel até ser chamado para a consulta.

O seu amigo de quatro patas terá muitas oportunidades para conviver com os outros cães e respetivas famílias quando estiver devidamente protegido contra as doenças dos cachorros. Importância da desparasitação A desparasitação é importante para a saúde do cachorro e de todo o agregado familiar, uma vez que existem muitos parasitas que podem ser transmissíveis ao Homem, sobretudo se houver contacto com crianças de idade inferior a 10 anos.

Desparasitação externa Caso detete a presença de parasitas externos no cachorro (pulgas e/ou carraças), não lhe dê banho! Solicite ao médico veterinário um produto adequado para aplicação a cachorros. Muitos dos produtos disponíveis no mercado são de uso seguro a partir das 8 semanas de idade, mas a equipa veterinária é que tem a formação técnica necessária para recomendar o melhor produto para o seu amigo de quatro patas.

 

Colocação do microchip

Nesta altura, também deve ser aplicado um identificador eletrónico no cachorro, coloquialmente conhecido como “microchip”. Trata-se de um pequeno identificador eletrónico, do tamanho de um bago de arroz, que é colocado sob a pele, no lado esquerdo do pescoço do cachorro. Não causa nenhum tipo de reação adversa e permanece ativo durante toda a vida do cão. Possui um código numérico, que é lido por um detetor especial. O médico veterinário que aplica o microchip é responsável pela introdução dos dados do cão e respetivo tutor na base de dados nacional, de modo que o cachorro possa ser restituído à sua família caso se perca. 

As maiorias dos donos utilizam a coleira como forma de identificação do pet. Mas, em caso de fuga ou roubo, não é considerado o método mais confiável. O bichinho pode perder a coleira no meio do caminho ou o ladrão simplesmente jogá-la fora. Pensando nisso, foi desenvolvido uma forma eficaz para solucionar esse problema: o microchip para cães e gatos. 

 

microchip para cães e gatos é um sistema eletrônico, do tamanho de um grão de arroz, que é implantado sob a pele do animal. O dispositivo contém um código exclusivo e inalterável com todas as informações de identificação. É geralmente composto por duas partes: o microchip em si e a cápsula que o envolve, feita de um vidro biocompatível (não provoca alergias).

 

 

Alguns animais desenvolvem problemas psicológicos e comportamentais após ficarem muito tempo sozinhos

Devido a nossa rotina atarefada, temos muitas vezes que deixar o cachorro sozinho em casa. Com isso, existe a possibilidade de eles desenvolverem diversos problemas comportamentais, como ansiedade de separação e, por isso, destruir móveis e objetos, fazer as necessidades fora do local adequado, latir muito e até uivar enquanto os tutores não voltam. Inclusive, eles podem se ferir raspando nas portas, por exemplo.

Mas, o que fazer para poder deixar o cachorro sozinho e evitar que esses problemas ocorram? O cão é um animal extremamente sociável, que gosta de companhia o tempo todo. E, então, quando temos que sair, eles ficam estressados e entediados. Por isso, daremos aqui algumas dicas para não deixá-lo triste enquanto nos espera.

O cachorro sozinho em casa durante muito tempo pode desenvolver uma série de problemas

Mas, o que fazer para poder deixar o cachorro sozinho e evitar que esses problemas ocorram? O cão é um animal extremamente sociável, que gosta de companhia o tempo todo. E, então, quando temos que sair, eles ficam estressados e entediados. Por isso, daremos aqui algumas dicas para não deixá-lo triste enquanto nos espera.


O cão deve ter atividades em casa ao longo do dia, mesmo sozinho. Há diversas opções de brinquedos interativos nos quais podemos colocar a própria ração para que ele tenha que caçar a comida e se entreter por alguns períodos, em vez de deixar a todo o alimento disponível em potinhos.

Distração
Espalhar petiscos pela casa e deixar alguns escondidos para que o cão tenha que procurar também pode distraí-lo por alguns períodos.

Brinquedos

Brinquedos próprios para roer e outros com texturas diferentes devem estar disponíveis para o cão brincar ao longo do período em que ele estiver sozinho. O ideal é fazer um rodízio dos objetos diariamente, para que sejam sempre uma novidade.

Alguns deles podemos fazer em casa mesmo, como garrafas pet penduradas, petiscos dentro de meias velhas, comidinhas dentro de caixas de papelão, enfim, temos que ter muita criatividade para que ele tenha bastante trabalho e possa se entreter muito brincando.

Preparação

Fazer um bom passeio com o cãozinho antes de deixá-lo sozinho é muito importante para gastar a energia dele e relaxá-lo. Andar pela rua faz com que o animal se distraia com cheiros diferentes, pessoas e outros bichinhos. Assim, ele estará mais calmo ao longo do período em que o dono não estiver em casa e poderá até dormir por algumas horas.

Na hora de sair

Para os cãezinhos que ficam muito tristes quando estão sozinhos, é ideal não fazer longas e dolorosas despedidas. Isso faz com que o cão sinta mais ansiedade e tristeza por ficar sozinho. A despedida deve ser rápida e o menos sentimental possível.

+ Cachorro chorando: entenda por que e saiba como resolver o problema

Coisas da casa

Outra dica é deixar a TV ou rádio ligado para que o bichinho tenha algum som no ambiente. Ele pode se sentir mais confortável e seguro e, assim, não vai ficar prestando atenção nos sons da rua, do vizinho ou do hall do seu apartamento. Isso faz com que a chance de ele latir para esses barulhos diminua e que ele fique mais tranquilo em casa.

Além disso, deixar algumas roupas ou panos que tenham o seu cheiro espalhado pela casa pode diminuir a solidão do animalzinho. Ele provavelmente vai procurar pelo seu cheiro para não se sentir tão sozinho. Ao encontrar esses tecidos, ele sentirá a sua presença e ficará mais calmo e relaxado.

Se for o caso de cães que dormem na cama com os seus tutores, o quarto pode ficar aberto com acesso à cama. Assim, ele poderá descansar no local em que já está acostumado.

+ Seu cachorro dorme com você? Saiba se a prática é saudável

Essas foram algumas dicas para um cachorro sozinho em casa ser mais feliz. Caso elas não funcionem, vale considerar deixá-lo em creches ou ter algum passeador de confiança que possa fazer essas atividades durante o dia. Sempre que puder aproveite o tempo com ele para dar muito amor e carinho, afinal, eles merecem!

 

 

Sobre a loja

Loja de produtos de petshop. Novidades em camas para cachorros de porte grande, caminhas para cachorros e gatos pequenos, comedouros, bebedouros, porta ração e também organizadores. Qualidade diferenciada para seu cachorro e gato, eles merecem.

Social
Pague com
  • PagHiper
Selos
  • Site Seguro

IND. PLAST. DO VALE DO ITAJAI LTDA - CNPJ: 83.495.085/0001-53 © Todos os direitos reservados. 2018